3P – Processo de Preparação da Produção

//3P – Processo de Preparação da Produção
Os especialistas que trabalham com o Lean Manufacturing consideram o 3p como uma das ferramentas de fabricação mais avançadas, poderosas e transformadoras que podem ser implementadas na indústria. Ela é tipicamente aplicada em organizações que já possuem experiência na implementação de outros métodos Lean e tem como objetivo desenvolver um sistema que satisfaça as exigências de qualidade, produção e custo. É um sistema que se concentra na eliminação de desperdícios através do desenho do processo e produtos sendo um método disciplinado de projetar um processo de produção Lean para um novo produto ou para um produto já existente.
Diferentemente do Kaizen e outras ferramentas Lean que focam em um processo de produção para realizar melhorias, o Processo de Preparação da Produção (3p) concentra-se na eliminação de desperdícios através do projeto do produto e processo.

 

Por que implantar o 3P?

Algumas pessoas aplicam o 3p para reduzir custos em equipamentos ou projetar processos que funcionam em fluxo contínuo de produção, porém podemos citar basicamente algumas situações em que o 3p é muito eficiente. São elas:

  1. Quando deseja-se desenvoler um produto novo minimizando desperdícios. Quanto mais cedo forem envolvidos os projetistas no pensamento Lean melhores serão os resultados;
  2. Para aprovação de capital de investimento. O 3p é uma excelente ferramenta para direcionamento de projetos de investimentos (CAPEX);
  3. Situações que envolvam decisões com relação a necessidades de mudanças no projeto do produto. Neste caso, as decisões ficam mais fáceis quando recorre-se a revisão do 3p;
  4. Em situações que exigem mudanças significativas em volume de produção;
  5. Em situações de realocação de Processos;

Etapas do Processo de Preparação da Produção

Primeiramente deve-se estabelece equipes com a finalidade de se reunirem para desenvolver as melhores alternativas para cada etapa do processo analisado. O objetivo aqui é desenvolver um processo, projeto ou produto que atenda da melhor maneira as necessidades dos clientes.

Uma vez definida a equipe, o time dedica alguns dias (com foco nos eventos 3p) trabalhando para desenvolver alternativas para as etapas do processo. Neste período avalia-se cada alternativa com relação a critérios de produção (Ex.: Takt Time desejado) e custos envolvidos para implementar estas alternativas. Uma vez estabalecidas as alternativas, as melhores são eleitas e implementadas.

O 3p é formado por 3 etapas que juntas englobam 16 slogans utilizados como diretrizes para os processos de concepção de acordo com os princípios do Lean Manufacturing, JIT (Takt, Flow, Pull) e Jidoka. Ao final das etapas do 3p e ao passar pelos 16 slogans, os equipamentos e o sistema produtivo estarão mais próximo do Sistema Toyota de Produção (STP). Veja na Figura 1 abaixo estas etapas:

3p Fluxo de processo de preparação da produção Fluxo de processo de prepara    o da produ    o

Figura 1 – 3p – Etapas do fluxo de processo de preparação da produção

Etapa de Informações

Na etapa de informações, os seguintes passos devem ser seguidos:

  1. Defina o problema / Crie o estudo de caso: Todo projeto deve começar com o entendimento de suas necessidades. A equipe deve buscar entender quais necessidades dos clientes precisam ser atendidas;
  2. Estabeleça metas e objetivos claros: Muitas vezes, o processo de preparação da produção, proporcionará um aumento significativo de lucros e melhor entendimento dos desperdícios. Apesar disto, não é recomendado implantar muitas melhorias de uma única vez. Os projetos devem ter metas e objetivos claros que, na maioria das vezes estarão ligados às estratégias principais da empresa.
  3. Análise e diagramação: Esta etapa envolve o levantamento de uma quantidade significativa de informações sobre os processos e produto. Deve-se coletar e analisar layouts de produtos, part numbers, desenhos e amostras. Em alguns casos, um produto existente é desmontado e transformado em uma vista explodida, dando-se especial atenção para a forma como as peças se encaixam. O processo de 3P faz amplo uso de palavras descritivas (torção, imprensa, aleta, rolo, etc.) ao descrever como os produtos são montados. Aqui também é importante analisar o Takt Time, os passos de processo e os custos envolvidos no processo de produção.

Etapa Criativa

  1. Desenvolva os 7 Processos alternativos: Esta é uma técnica de brainstorming utilizada para que se obtenha uma grande quantidade de ideias sem que elas possam ser censuradas. O 3P nesta fase exige que a equipe volte-se para exemplos da natureza, forçando as pessoas buscarem exemplos no mundo natural para estimular novas ideias. A teoria é que a mãe natureza tem desenvolvido soluções para quase todos os problemas através de milhões de anos de tentativa e erro. Em algum lugar, uma dessas soluções irá coincidir com o problema que está sendo enfrentado pela equipe.
  2. Refine as ideias: Após a coleta do maior número de ideias e alternativas possíveis, a equipe pode validá-las. Algumas formas de validação é criando modelos e desenvolvendo simulações. Muitas empresas que fazem o 3P elaboram documentos para explicar melhor as ideias geradas durante os 7 Processos alternativos. Este documentos geralmente possuem descrições de ferramentas e gabaritos, inovações de processo, Poka-Yokes, e assim por diante.
  3. Priorize as ideias: Esta é uma etapa de priorização das melhores ideias. Os Processos de preparação de produção mais refinados terão uma matriz de decisão especificamente desenhada para proporcionar melhores resultados.

Etapa de Redefinição

  1. Validação: Uma vez criado o protótipo em cima das melhores idéias, a equipe trabalhará para aperfeiçoá-lo. Devem ser criadas variações no processo para garantir que todos os critérios sejam atendidos. Após o refinamento, o resultado deve ser apresentado a uma equipe maior para a validação do protótipo.
  2. Implementação: Após aprovado o protótipo, será selecionado um membro da equipe para liderar a implementação do processo. O mebro será responsável por montar um cronograma, alocar os recursos necessários e distribuir responsabilidades. Nesta etapa, a equipe deverá elaborar novos fluxogramas e procedimentos operacionais. Serão redefinidos o Takt Time, tempos de ciclo, capacidades e o layouts.

Você Gostou Deste Artigo?

Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

 

Lançamento para a produção

Ao final do processo 3P, o produto remodelado ou o novo projeto de processo será introduzido na organização. Como resultado, será estabelecendo na empresa um processo de qualidade superior ao que havia anteriormente. A equipe deverá monitorar o resultado das ações e cuidar para que as mesmas se perpetuem. Assim todos poderão usufruir dos resultados proporcionados pelo 3P.

Benefícios de implantar o 3P

Os eventos envolvidos no Processo de Preparação da Produção (3P) são mais eficazes em situações que seguem a regra de (alto risco)/(alta recompensa). Caso houver necessidade de melhorias incrementais ou grandes mudanças que são bastante simples, outras ferramentas Lean são mais adequadas. Alguns exemplos de bons eventos 3P incluem:

  • Quando um novo produto está sendo lançado;
  • Quando ocorre uma mudança significativa na demanda que requer uma revisão de uma linha de produção;
  • Quando a produção estiver sendo transferida para um novo local;
  • Quando uma grande mudança de projeto for necessária devido à concorrência externa.
  • Quando existe uma necessidade de liberar uma quantidade significativa de espaço na linha de produção;
  • Quando o processo de produção possui problemas significativos de qualidade que são difíceis de resolver;
  • Quando existem barreiras significativas à implementação do pensamento Lean.
2018-01-13T16:36:27+00:00 By |Categories: Produção Industrial|0 Comentários

Formado em Engenharia Elétrica pela UNESP (Universidade Estadual Paulista) com Pós Graduação MBA em Gestão de Projetos pela FVG (Fundação Getúlio Vargas) e certificação internacional em Gestão de Projetos pelo PMI (Project Management Institute). Também possui certificação Green Belt em Lean Six Sigma. Atuou na implantação dos pilares de Engenharia de Confiabilidade Operacional e Gestão de Ativos Industriais em grandes empresas como Votorantim Metais (CBA) e Votorantim Cimentos. Como Gerente de Projetos pela Siemens e Citisystems, coordenou vários projetos de automação e redução de custos em empresas como Usiminas, JBS Friboi, Metso, Taesa, Cemig, Aisin, Johnson Controls, Tecsis, Parmalat, entre outras. Possui experiência na implementação de ferramentas Lean Manufacturing em empresas como: Faurecia, ASBG, Aisin Automotive, Honda, Unicharm e Flextronics. Atualmente é Diretor de Projetos na empresa Citisystems e membro do Conselho de Administração da Inova, organização gestora do Parque Tecnológico de Sorocaba.