O objetivo desta etapa é manter todo o avanço e as condições alcançadas nas etapas anteriores, ou seja, fazer com que as condições básicas dos equipamentos sejam mantidas. Para alcançar estas condições, há a necessidades dos times de operadores estabelecerem padrões nas atividades de limpeza, inspeção e lubrificação, e assumindo a responsabilidade de manter o equipamento.

padrões maquinas

Segundo Campos (2004) a introdução de um novo procedimento para se estabelecer um determinado resultado é o que se chama de padrão. São poucas as empresas que estabelecem padrões em suas atividades diárias. A padronização é a base para a boa gestão de qualquer processo e não é diferente para se manter as condições ideais dos equipamentos após toda a evolução já alcançada. (CAMPOS, 2004)

A principal atividade desta etapa é a formulação dos padrões de trabalho que busquem manter os níveis básicos de limpeza, lubrificação e das condições ideais de operação dos equipamentos, e que busquem sempre o esforço mínimo para cada atividade. Para contribuir para este processo e melhorar a eficiência das atividades de inspeção deve-se introduzir controles visuais. Tudo isto deve ser estabelecido para amparar as condições básicas para manter o equipamento e prevenir a deterioração forçada.

Os padrões que são estabelecidos de cima para baixo não são utilizados e muito menos cumpridos. Em algumas empresas até existe padrões excelentes, porém os operadores não utilizam como base de suas atividades. Muitos padrões são elaborados pelas equipes de manutenção, que não se colocam na posição da operação para verificar as dificuldades dos mesmos, o que também passa a dificultar a execução dos padrões estabelecidos

A seguir razões pelo qual os operadores não seguem e não executam as atividades estabelecidas nos padrões:

  • não saber realmente o porquê fazer nas inspeções estabelecidas;
  • não saber realmente o que se deve inspecionar e como inspecionar;
  • muito tempo para fazer as inspeções de acordo com os padrões;
  • inspeções difíceis de se realizarem, pois há muitos lugares altos, escuros ou apertados;

Os padrões jamais terão propriedade na execução se não forem levantadas as considerações de quem irá realizá-los. Portanto os colaboradores que já executaram as etapas 1 e 2 da manutenção autônoma terão motivação, habilidade e a oportunidade de formular os padrões necessários para que possam sim prevenir a deterioração durante sua verificação diária.

Os padrões são provisórios, pois ainda precisam ser validados ao longo do desenvolvimento da manutenção autônoma. Os padrões permitem que os operadores realizem as inspeções de maneira fácil, correta e com responsáveis bem definidos, não dando chance a omissão. Os padrões devem conter as seguintes informações – local, ação a ser executada, periodicidade, por que fazer, responsável e a forma de execução – portanto incorporam os seguintes pontos:

Tabela 1 – Pontos importantes para formulação de um padrão

Pontos Descrição
Itens de
inspeção
Os membros da equipe devem se reunir para
levantar e decidir o que limpar, verificar e lubrificar para manter as
condições básicas do equipamento. Os gestores devem mostrar qualquer omissão
ou duplicação de atividade.
Pontos
chave
Discutir o que é provável de acontecer se uma
parte específica se contaminar, afrouxar ou estiver com lubrificação insuficiente.
O objetivo é entender o dano que pode ser causado se as condições básicas não
forem atendidas. Orientação e conselho por parte dos supervisores nestes
pontos são importantes aqui também.
Métodos Opte pelos mais simples e apropriados métodos de
inspeção. Elabore controles visuais claros que permitam que qualquer pessoa
realize as verificações corretamente de forma confiável.
Ferramentas Estabeleça quais ferramentas de limpeza,
lubrificação e inspeção usar e rotule-as claramente com códigos específicos.
Tempos Estabeleça o tempo para cada tarefa de limpeza e
determine objetivos alcançáveis. Encurte esses tempos através de melhorias
para simplificar e minimizar o trabalho manual.
Intervalos Estabeleça a periodicidade das inspeções e
monitore suas realizações. Desenvolva melhorias para prolongar o intervalo
das inspeções. Estas melhorias exigem parecer de peritos em manutenção.
Responsabilidade Estabeleça responsável por cada atividade para
assegurar que nada seja deixado de lado; esclareça claramente o papel das pessoas
para realçar seu senso de propriedade do equipamento.

Fonte: Adaptado de (SUZUKI, 1994)

Você Gostou Deste Artigo?
Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

A figura 1 demonstra um exemplo do padrão provisório e ilustra a “filosofia de inspeção através da limpeza” em prática.

padroes manutencao autonoma-ma

Pontos importantes a serem estabelecidos para esta etapa por parte da gestão e dos operadores:

  • assegurar que os operadores sigam os padrões e aprendam a sua importância deixando-os definir seus próprios padrões;
  • permitir que as pessoas aprendam sua importância do trabalho em times, ponto muito importante para o sucesso desta etapa;
  • dar dicas e orientações para a confecção dos padrões de limpeza e de inspeção;
  • dar assistência técnica por parte da área de manutenção na confecção dos padrões de lubrificação;
  • mostrar que os sistemas de controles visuais podem simplificar a inspeção através exemplos práticos.

Referências

CAMPOS, V. F. TQC – Controle de Qualidade Total (no estilo japonês). 8ª. ed. Nova Lima: FALCONI, 2004.

SUZUKI, T. TPM in Process Industries. 1ª. ed. New York: Productivity Press, 1994.