Uma das primeiras lições que os novos engenheiros são convidados a aprender é a de priorizar tarefas. É importante aprender desde cedo a distinguir entre os “poucos pontos vitais” dos “muitos pontos triviais”. Isto significa que é importante concentrar-se nas poucas coisas que realmente importam e não gastar recursos em muitos outras que têm pouco ou nenhum impacto no negócio. Para priorizar o que realmente é importante, existe uma regra conhecida como a regra de 80/20, que indica que 80% de todas as ocorrências de problemas são devidos a apenas 20% dos tipos de problemas encontrados. Outra variante desta regra estabelece que para qualquer problema, 80% das suas ocorrências são devido a apenas 20% de todas as causas. O diagrama de pareto é, basicamente, um gráfico de barras descendente que apresenta as freqüências de ocorrências ou os tamanhos relativos abrangendo:

1) As várias categorias de todos os problemas encontrados, a fim de determinar quais os problemas existentes ocorrem com mais frequência;

2) As várias causas de um problema particular, a fim de determinar qual das causas de um problema particular surge mais frequentemente.

Após identificar as categorias de problemas ou causas, é necessário dispor elas no eixo x do gráfico de barras. Basicamente, para entender o que é o diagrama de pareto, primeiramente é preciso entender o princípio de pareto, originário da regra 80/20. Este princípio afirma que 80% dos fenômenos advém de 20% das causas. Veja alguns exemplos:

Exemplo

  • Uma banca de jornal não pode expor 100% a capa de todas as revistas e por isso ela escolhe 20% das mais vendidas que geram 80% do faturamento;
  • Alguns estudos mostram que 80% do faturamento de uma empresa advém de 20% dos clientes;
  • 20% dos estoques respondem por 80% dos custos;
  • 20% dos defeitos geram 80% das reclamações;
  • 20% das causas de paradas de máquinas industriais são responsáveis por 80% do tempo em que a máquina fica parada.

Ou seja, o princípio de pareto mostra a relação desigual entre causas e efeitos.

O que é o Diagrama de Pareto?

Como explicado, o diagrama de pareto é um recurso gráfico utilizado para estabelecer uma ordenação nos problemas que devem ser sanados e sua maior utilidade é a de permitir uma fácil visualização e identificação das causas ou problemas mais importantes. Através de sua utilização, é possível compreender a relação entre as causas e efeitos de um processo, permitindo a localização dos problemas vitais. De maneira prática, ao serem listadas diversas causas raiz, ou causas profundas, é necessário identificar aquelas de maior impacto sobre a eficiência e eficácia do todo. Vamos analisar um exemplo prático de constuir um diagrama de pareto:

O primeiro passo é construir uma tabela com os dados de interesse:

Descrição da Falha      Total% por     falha%    Acum
Rebarbas      44544%44%
Diagrama menor      23423%67%
Diagrama maior      17817%84%
Sem usinagem      15615%99%
outros       81%100%

 

Como aplicar o Diagrama de Pareto?

Siga 3 passos básicos:

  1. Primeiramente determine o objetivo do diagrama, qual tipo de perda você quer investigar? (na tabela, descrição da falha);
  2. Defina o aspecto do tipo de perda, deixe claro como os dados serão classificados (na tabela está representado pelo total de falhas por ítem;
  3. Faça os cálculos de freqüência e agrupe as categorias que ocorrem com baixa freqüência sob a denominação “outros”. Calcule também o total e a porcentagem de cada item sobre o total e o acumulado. Determine as frequências relativas e acumuladas. (respectivamente na tabela, “% por falha” e % acum).

Após criar a tabela, utilize ela para gerar o gráfico através de qualquer ferramenta gráfica como o Excel:

diagrama de pareto1

Repare que o gráfico é uma composição de barra e linha, que são dispostos em 2 eixos verticais (y). O eixo à esquerda representando a quantidade de falhas e o eixo à direita representando a porcentagem acumulada.

Visualizando o gráfico acima, fica fácil identificarmos onde estão os 80% dos problemas vitais. Neste caso, eles se concentram em: rebarbas, diagrama menor e diagrama maior. Portanto, para o envolvimento da equipe nas ações de resolução dos problemas, os esforços devem ser concentrados nestes 3 itens.

Você Gostou Deste Artigo?

Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

Benefícios da utilização do Diagrama de Pareto na indústria

Através da utilização do diagrama de pareto é possível atingir os seguintes objetivos:

  • Separar os poucos problemas principais de muitos problemas possíveis para que você possa concentrar seus esforços de melhoria no que realmente importa;
  • Organizar os dados de acordo com a prioridade ou importância;
  • Determinar os problemas são mais importantes através da utilização de dados e não percepções.

Benefícios da utilização dos diagramas de pareto:

    • Resolve um problema de forma eficiente por meio da identificação e hierarquização, de acordo com a sua importância das causas principais de falhas;

Define as prioridades para muitas aplicações práticas. Alguns exemplos são: os esforços da equipe de melhoria de processos, as necessidades dos clientes, fornecedores, oportunidades de investimento;

Mostra onde concentrar os esforços;

Permite a melhor utilização dos recursos, que geralmente são limitados.