Neste artigo vou explicar como funciona a linguagem Ladder, lhe apresentando um exemplo prático primeiramente. Ao final, você vai entender através de um exemplo prático como funciona a linguagem Ladder e como ela se adapta aos grandes fabricantes de CLPs. Então vamos ao nosso primeiro exemplo:

Um frigorífico de abate de aves tinha um problema intermitente no final da linha de embalagem. As embalagens de miúdos (asa, coxa, pés) passava pelo detector de metais antes de serem encaixotadas. Caso o detector verificasse presença de algum metal na embalagem, ele enviava um sinal que  acionava uma solenóide que por sua vez ativava um pistão pneumático a fim de expulsar a embalagem da linha para o devido tratamento. Veja este exemplo na figura abaixo:

linguagem ladder exemplo detector

No entanto, ocorreu um problema onde mesmo que algumas embalagens acusassem metal ao passar pelo detector, elas passavam normalmente pela esteira sem haver a expulsão. Após algumas investigações foi detectado que a duração do pulso que detectava o metal era de ¾ de segundos. O CLP, que faz o reconhecimento deste sinal, controla várias estações e possui um programa muito extenso e vasculhando o status do CLP, foi possível identificar que o tempo de varredura do CLP está ligeiramente inferior a 1 segundo. Então seria muito provável que o pulso enviado pelo detector não estava sendo detectado pelo CLP. O pulso do detector poderia ser anulado no inicio do tempo de varredura do CLP, fazendo com que a lógica não reconhecesse o mesmo e para ele tudo estava normal.

A solução: O técnico examinou o programa em linguagem Ladder e verificou que a entrada onde chegava o pulso do detector era atualizada a cada 1/2 segundo. Caso a entrada do detector estivesse atuada, uma bobina interna ficava ligada por pelo menos 1,5 segundos. O programa foi então revisado de forma a aumentar o tempo de pulso do detector e armazenar o sinal na memoria de forma a acionar a solenoide e consequentemente acionar o cilindro para expulsar a embalagem com metal.

O problema relatado acima é típico de um técnico que trabalha com automação industrial. Para que você seja capaz de resolver o mesmo, você deverá compreender a linguagem Ladder, que é a linguagem de programação mais utilizada nos CLPs de mercado e que se baseia em diagramas de circuitos eletromecânicos combinados em um esquema de comando. Vou explicar para você como isso funciona com exemplos a seguir detalhando contatos, bobinas e blocos lógicos.

A linguagem Ladder foi a primeira linguagem de programação desenvolvida para os CLPs e, como a criação destes foi uma necessidade de substituição do controle de sistemas com reles lógicos, nada mais natural que a linguagem Ladder fosse similar aos diagramas utilizados para documentar a lógica por relês. Utilizando esta abordagem, os engenheiros e técnicos responsáveis pela programação dos CLPs não precisariam de treinamentos extensos para entender ou desenvolver um programa. Desta forma, a linguagem Ladder se baseia em interruptores simples que se conectam em linhas com bobinas de maneira a compor circuitos lógicos. Assim, cada interruptor (entrada) recebe uma identificação (tag) assim como as bobinas (saídas). Também é possível utilizar memórias internas, temporizadores, comparadores e blocos lógicos. Veremos todos estes elementos a seguir.

Exemplo 1: Circuito OR (OU). Duas chaves identificadas como A e B são conectadas em paralelo de forma a controlar uma lâmpada conforme Figura 2.  Devemos implementar esta função em linguagem Ladder no CLP onde as 2 chaves deverão ser entradas individuais.

linguagem ladder lógica ou

Figura 2 – Circuito com chaveamento paralelo (a) e tabela verdade (b)

Solução: A ação do circuito proposto pode ser descrita como: “A lâmpada acende quando a chave A está acionada (fechada) ou a chave B está acionada (fechada). Todas as possíveis combinações das duas chaves e o acionamento da lâmpada pode ser visualizado na tabela da Figura 2(b). Abaixo podemos ver como seria este circuito e sua representação lógica:

linguagem ladder lógica ou clp

Figura 3 – Representação do circuito com reles (a), diagrama com reles em logica Ladder (b) e linguagem Ladder implementada em CLP (c) para a lógica OU

Na Figura 3 (a), você pode verificar que os os reles AR, BR e LR possuem contatos normalmente abertos. As chaves A e B são as entradas do circuito e quando A ou B estão fechadas, a bobina do rele correspondente AR ou BR é energizada, fechando o contato e fornecendo energia para a bobina do rele LR que quando energizado fecha contato fornecendo energia para a lâmpada. Veja que tanto A quanto B, quando fechadas, energizam a lâmpada mostrando de fato a lógica OU. A lâmpada por sua vez é acionada pela bobina do rele LR dando a característica de isolação entre as saídas e entradas, permitindo assim que as entradas A ou B possam ser utilizadas várias vezes na lógica.

Você Gostou Deste Artigo?
Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

Um rele típico de controle industrial pode ter até 12 polos ou conjunto de contatos por bobina. Por exemplo, se o rele AR tiver 6 polos, no nosso exemplo, somente 1 está sendo utilizado na lógica da Figura 3. Assim, os outros 5 podem ser usados para continuar compondo uma lógica maior. Antes do desenvolvimento dos CLPs, era exatamente desta maneira que era composta uma lógica nos projetos elétricos. O nome dado a este tipo de implementação foi diagrama com reles em lógica Ladder.

Já a linguagem ladder para o CLP, Figura 3(c), acabou resumindo bastante a representação do diagrama, pois a lógica implementada no CLP assume que as entradas (chaves no nosso exemplo) estão conectadas por entradas discretas (equivalente as bobinas dos reles AR e BR na Figura 3(b)). A saída também é conectada à uma saída discreta (equivalente ao contato normalmente aberto de LR na figura 3(a). O nome mostrado em cima do contato não é o nome do contato e sim o controle para a bobina que aciona o contato. A saída ou bobina é representada pelo lado direito da linha devido ao fato de que a energia circula do lado esquerdo para o direito. Assim, podemos interpretar da seguinte forma: Quando a chave A é acionada, a Lâmpada L acende ou quando a chave B é ligada, a Lâmpada L também acende, exatamente como representado no circuito simplificado da Figura 2.

Exemplo 2: Circuito E (AND) – Duas chaves nomeadas A e B são ligadas em série de forma a controlar uma lâmpada conforme mostrada na Figura 3. Implementar esta função em programação ladder onde as 2 chaves são entradas individuais.

linguagem ladder lógica e

Figura 4 – Circuito com chaveamento paralelo (a) e tabela verdade (b)

Solução: A ação no circuito é descrita como: “A lâmpada está ligada quando a chave A está fechada (ligada) e a chave B está fechada (ligada), Todas as possíveis combinações entre as chaves A e B podem ser visualizadas na tabela verdade da Figura 4(b). Para implementar esta função utilizando reles, a única modificação se comparado com o exemplo 1 é que aqui os contatos normalmente abertos dos controles dos reles AR e BR foram ligados em série com o controle da lâmpada (Figura 5(a)). A ligação das chaves A e B e a ligação da lâmpada não muda. O diagrama com reles em lógica ladder mostrado na Figura 5(b) é diferente do da Figura 3(b) apenas na terceira linha e como no exemplo anterior, novamente a linguagem ladder do CLP é resumida em uma linha apenas com a seguinte interpretação: Quando a chave A está ligada e a chave B está ligada, a lâmpada deverá ser ligada.

linguagem ladder lógica e clp

Figura 5 – Representação do circuito com reles (a), diagrama com reles em logica ladder (b) e linguagem ladder implementada em CLP (c) para a lógica E

Exemplo 3: Neste terceiro exemplo, considere  a implementação da lógica não (NOT). Suponha que a lâmpada precisa ser ligada quando a chave A está ligada (fechada) e a chave B está desligada (aberta). Implementar esta função em linguagem ladder no CLP onde as duas chaves são entradas individuais.

Solução: A Figura  6 mostra a tabela verdade, o diagrama com reles e a logica ladder para o CLP neste exemplo. A única diferença entre a implementação em rele da Figura 6(a) e a Figura 5(a) é a ligação dos contatos do rele BR. A lógica NOT para a chave B é conseguida com o contato normalmente fechado (NF) do rele BR. A linguagem ladder no CLP da Figura 6(c) comparada à da Figura 5(c) se diferem apenas no segundo contato podendo ser interpretada como: “Quando a entrada (chave) A está ligada (fechada) e a entrada (chave B) está desligada (aberta) então a lâmpada será ligada. Este exemplo em particular é impossível de ser implementado sem a utilização de reles e com a combinação de apenas duas chaves normalmente abertas.

linguagem ladder lógica not clp

Figura 6 – Circuitos com a Lógica Não (NOT); (a) tabela verdade; (b) circuito equivalente com reles; (c) linguagem ladder no CLP.

Bom, estamos evoluindo no entendimento melhor da lógica de programação e pelos exemplos que vimos até agora temos os seguintes conceitos:

  • Lógica E ou AND – Conexão em série de contatos;
  • Lógica OU ou OR – Conexão em paralelo de contatos;
  • NA ou NO – Contato Normalmente Aberto (Normally Open). O contato fica aberto quando não há energia no circuito e se fecha quando recebe energia.
  • NF ou NC – Contato normalmente fechado (Normally Closed). O contato fica fechado quando não há energia no circuito e se abre quando recebe energia.

Estes conceitos são a chave para que você comece a entender e implementar as lógicas em linguagem ladder. Para muitas pessoas, eles parecem simples, e para outras, estranho à primeira vista. No entanto, eles começarão a ficar mais natural quando você trabalhar com as implementações nas soluções. Será possível observar a facilidade em lidar com esta abordagem devido ao fato de que a linguagem ladder é uma linguagem gráfica e visual, muito diferente das linguagens de programação C++, Fortran, Basic e Java. Em contrapartida a linguagem ladder acaba por apresentar mais limitações se comparada às linguagens citadas.

Símbolos Básicos da Linguagem Ladder

Agora que você entendeu os exemplos acima, vamos deixar de pensar em lógica por reles e partir diretamente para a lógica em linguagem ladder. Como falamos anteriormente, os símbolos básicos da linguagem ladder são:

Simbolo Descrição
 linguagem ladder chave na no -Contato normalmente aberto (NA ou NO).
-Na linguagem ladder, este símbolo transfere energia se a chave estiver ligada (fechada).
 linguagem ladder chave nf nc -Contato normalmente fechado (NF ou NC).
-Na linguagem ladder, este símbolo transfere energia se a chave estiver desligada (aberta).
linguagem ladder bobina saida no -Saída ou Bobina. Se qualquer contato transferir energia da esquerda para a direita,
a saída é energizada (ligada).
-Caso não houver energia transferida da esquerda para a direita,
a saída fica desenergizada.

Os símbolos acima, depois de implementados na linguagem ladder, são scaneados (lidos) e executados pelo CLP, seguindo a ordem da esquerda para a direta. A Figura 7 é um exemplo em lógica ladder com uma instrução básica:

linguagem ladder diagrama basico

Figura 7 – Diagrama básico da Linguagem Ladder

A primeira linha (também chamada em inglês de rung) determina o acionamento da bobina Out1 e pode ser interpretada da seguinte forma: A saída 1 fica ligada quando a entradas A, B e C estão todas ligadas  ou as entradas A e C estão ligadas e a entrada D desligada. Veja que para a saída Out1 estar energizada, deve haver um caminho elétrico contínuo através dos contatos das chaves de entrada, com a energia fluindo da esquerda para a direita.

A seguir, vou apresentar a linguagem ladder para os CLPs mais famosos de mercado. O Modicon da Schneider será apresentado primeiramente por ser mais próximo à norma IEC 61131-3. Depois mostrarei a lógica em linguagem Ladder para os CLPs Allen Bradley por serem largamente utilizados nas indústrias juntamente com o Siemens. Depois de apresentar o padrão Siemens, apresentarei o padrão da GE.

3 – O Padrão Ladder IEC 61131-3

Abaixo, é possível visualizar uma tabela com os símbolos utilizados na linguagem ladder padrão IEC 61131-3:

Simbolo Descrição
ladder-entrada-simbolo-na-iec-611313 Contato normalmente aberto (NA ou NO). Transfere energia se a chave estiver ligada (fechada).
ladder-entrada-simbolo-nf-iec-611313 Contato normalmente fechado (NF ou NC). Transfere energia se a chave estiver desligada (aberta).
ladder-simbolo-transicao-positiva-iec-611313 Transição positiva. Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
ladder-simbolo-transicao-negativa-iec-611313 Transição negativa. Se o estado do símbolo mudar de ligado para desligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
ladder-simbolo-bobina-saida-iec-611313 Bobina ou Saída. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é energizada (ligada). Caso contrário, ela permanece desligada.
ladder-simbolo-bobina-saida-negada-611313 Bobina ou Saída Negada. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é desenergizada (desligada). Caso contrário, ela permanece ligada.
ladder-simbolo-bobina-saida-SET-611313 Bobina Set. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica energizado, mesmo que a linha deixe de estar energizada.
ladder-simbolo-bobina-saida-RESET-611313 Bobina Reset. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica desenergizado e permanece desenergizado mesmo que ocorra alteração de energia na linha.
ladder-simbolo-bobina-saida-POSITIVA-611313 Bobina de Detecção Positiva. Se as condições antes desta bobina mudar de desligado para ligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-simbolo-bobina-saida-NEGATIVA-611313 Bobina de Detecção Negativa. Se as condições antes desta bobina mudar de ligado para desligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-simbolo-bobina-saida-MEMORIA-611313 Bobina de Memória Retentiva. É como a bobina comum exceto pelo fato de que ela retem o seu estado de ligada ou desligada mesmo que o CLP pare ou se desnergize.
ladder-simbolo-bobina-saida-SET-MEMORIA-611313 Bobina Set de Memória. Funciona como a bobina set, porém ela retem o seu estado mesmo que o controlador pare ou perca a energia, ficando armazenado na memória.
ladder-simbolo-bobina-saida-RESET-MEMORIA-611313 Bobina Reset de Memória.  Funciona como a bobina reset, porém ela retem o seu estado mesmo que o controlador pare ou perca a energia, ficando armazenado na memória.

 

Alguns Comentários Sobre as Instruções Básicas na Linguagem Ladder:

  • Os contatos e bobinas sensíveis a transição positiva ou negativa geralmente são utilizados para inicialização e detecção de transições de entrada, como por exemplo, o aperto de uma botoeira de comando;
  • As bobinas de set e reset são utilizadas em conjunto. Podemos visualizar um exemplo desta utilização na Figura 8 onde A seta um alarme e B reseta o alarme informando que o mesmo foi reconhecido.
linguagem ladder set reset alarme

Figura 8 – Exemplo em linguagem ladder de Set e Reset

  • As bobinas de memória retentiva são utilizadas em situações onde o estado da saída deve ser armazenado mesmo que o CLP sofra queda de energia. Normalmente, as saídas do controlador desligam quando o mesmo para ou perde a energia e dependendo do sistema, é importante que o estado da saída fique retido na memória para que o sistema possa operar seguramente após situações de falha. Alguns fabricantes de CLP fornecem esta função como parte do módulo de saída discreta.
  • Apesar de termos o simbolo da bobina negada, não é recomendado sua utilização, pois na maioria dos sistemas a posição de segurança é quando as saídas do CLP estão desligadas. Geralmente os contatos são colocados em série com a bobina de saída, indicando múltiplas condições que devem ser satisfeitas antes que a saída seja energizada. Com a saída negada, quando as condições são feitas, ela desliga e esta regra acaba por ser o oposto do que se busca na maioria dos conceitos de segurança.

4 – O Padrão Modicon

linguagem ladder modicon

Os controladores da Schneider M340 e QuantumPLC são programados na lógica ladder Modicon que descrevemos anteriormente é compatível com a IEC 61131-3. A linguagem ladder no padrão Modicon é a mesma descrita da IEC 61131-3, exceto que o Modicon não suporta as funções de bobina de memória retentiva, SET de memória retentiva e RESET de memória retentiva. Em contrapartida, com o padrão Modicon temos as funções call e halt. Veja na tabela a seguir os símbolos utilizados neste padrão:

Simbolo Descrição
ladder-simbolo-bobina-saida-iec-611313 Bobina ou Saída. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é energizada (ligada). Caso contrário, ela permanece desligada.
ladder-simbolo-bobina-saida-negada-611313 Bobina ou Saída Negada. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é desenergizada (desligada). Caso contrário, ela permanece ligada.
ladder-simbolo-bobina-saida-SET-611313 Bobina Set. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica energizado, mesmo que a linha deixe de estar energizada.
ladder-simbolo-bobina-saida-RESET-611313 Bobina Reset. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica desenergizado e permanece desenergizado mesmo que ocorra alteração de energia na linha.
ladder-simbolo-bobina-saida-POSITIVA-611313 Bobina de Detecção Positiva. Se as condições antes desta bobina mudar de desligado para ligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-simbolo-bobina-saida-NEGATIVA-611313 Bobina de Detecção Negativa. Se as condições antes desta bobina mudar de ligado para desligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-modicon-call Bobina de Chamada (Call). Se alguma linha transferir energia para esta bobina, ela chama uma subrotina (subprogama).
ladder-modicon-halt Bobina de Parada (Halt). Se alguma linha transferir energia para esta bobina, ela para uma subrotina ou subprogama.

 

5 – O Padrão Allen-Bradley ControlLogix, PLC-5/SLC-500 e Micrologix

linguagem ladder rockwell

Os contatos básicos no padrão Allen Bradley não são tão numerosos quanto os da IEC 61131-3. Em contrapartida, para a maioria das instruções, simbolos diferentes são utilizados, embora a função seja a mesma em uma instrução no padrão IEC 61131-3. Os simbolos utilizados na linguagem ladder pela Allen Bradley podem ser visualizados na tabela abaixo:

Simbolo Descrição
ladder-allen-bradley-entrada-na Contato normalmente aberto (NA ou NO). Transfere energia se a chave estiver ligada (fechada). Também é chamado de XIC (eXamine If Closed).
ladder-allen-bradley-entrada-nf Contato normalmente fechado (NF ou NC). Transfere energia se a chave estiver desligada (aberta). Também é chamado de XIO (eXamine If Open).
ladder-allen-bradley-entrada-ons One-Shot Contact. Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
É encontrado no ControlLogix, PLC-5 e alguns Micrologix apenas).
É parecido com a detecção de transição positiva da IEC exceto que este elemento segue o contato onde a transição ocorre.
Ele armazena uma booleana que retem o estado prévio do contato de entrada.
ladder-allen-bradley-entrada-osr One-Shot Rising Contact. Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
É encontrado no SLC-500 e alguns Micrologix). e deve preceder imediatamente uma bobina de saída.
É parecido com a detecção de transição positiva da IEC exceto que este elemento segue o contato onde a transição ocorre.
Ele armazena uma booleana que retem o estado prévio do contato de entrada.
ladder-allen-bradley-saida-na Bobina ou Saída. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é energizada (ligada). Caso contrário, ela permanece desligada.
Também chamada de OTE (OuTput Energize).
ladder-allen-bradley-saida-L Bobina Latch. Se esta bobina é energizada, ela fica e permanece energizada, mesmo que a linha em que ela esteja seja desenergizada de forma análoga ao SET do IEC.
Também chamada de OTL (OuTput Latch).
ladder-allen-bradley-saida-U Bobina Unatch. Se esta bobina é energizada, ela fica e permanece desenergizada, mesmo que a linha em que ela esteja varie, de forma análoga ao RESET do IEC.
Também chamada de OTU (OuTput Unlatch).
ladder-allen-bradley-saida-FUNCAO-OSR One-Shot Rising Output. Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
É encontrado no PLC-5 ControlLogix.
Apesar de parecer um bloco de função, é parecido com a detecção de transição positiva da IEC exceto que este elemento segue o contato onde a transição ocorre.
Ele armazena uma booleana que retem o estado prévio do contato de entrada.
ladder-allen-bradley-saida-FUNCAO-OSF One-Shot Falling Output. Se o estado do símbolo mudar de ligado para desligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
É encontrado no PLC-5 ControlLogix.
Apesar de parecer um bloco de função, é parecido com a detecção de transição negativa da IEC exceto que este elemento segue o contato onde a transição ocorre.
Ele armazena uma booleana que retem o estado prévio do contato de entrada.

Veja que neste padrão, a linguagem ladder não apresenta a bobina com memória retentiva. A função retentiva é tratava em módulos com saídas discretas.

6 – O Padrão Siemens

linguagem ladder siemens

Os três tipos de processados (S7-200, S7-300/400 e S7-1200) possuem as mesmas instruções básicas. A única exceção é a bobina de centro de linha que não é válida para os controladores S7-200 e S7-1200 e as bobinas negada e de transição que são válidas apenas para o modelo S7-1200. O diagrama básico aplicado na linguagem ladder para a família Siemens pode ser visualizado na tabela abaixo:

Simbolo Descrição
ladder-entrada-simbolo-na-iec-611313 Contato normalmente aberto (NA ou NO). Transfere energia se a chave estiver ligada (fechada).
ladder-entrada-simbolo-nf-iec-611313 Contato normalmente fechado (NF ou NC). Transfere energia se a chave estiver desligada (aberta).
ladder-simbolo-bobina-saida-POSITIVA-611313 Transição positiva. Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
Para o S7-300/400 é um elemento que armazena um booleano e retem o estado anterior.
Para o S7-200/1200 este contato é representado por barras verticais ao invés de parênteses.
Para o S7-1200 quando ocorre a transição, este contato transfere energia para apenas um Scan do processador.
ladder-simbolo-bobina-saida-NEGATIVA-611313 Transição negativa. Se o estado do símbolo mudar de ligado para desligado, este contato transfere energia na linha até que haja um novo scan do controlador.
Para o S7-300/400 é um elemento que armazena um booleano e retem o estado anterior.
Para o S7-200/1200 este contato é representado por barras verticais ao invés de parênteses.
Para o S7-1200 quando ocorre a transição, este contato transfere energia para apenas um Scan do processador.
ladder-siemens-saida-negada Inverte o Fluxo de Energia. Se chegar energia neste contato, ela é automaticamente interromPIDa (desligada). Por outro lado, caso não chegar energia neste contato, ele liga.
Esta função não se aplica ao S7-200.
ladder-simbolo-bobina-saida-iec-611313 Bobina ou Saída. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é energizada (ligada). Caso contrário, ela permanece desligada.
ladder-simbolo-bobina-saida-negada-611313 Bobina ou Saída Negada. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é desenergizada (desligada). Caso contrário, ela permanece ligada.
ladder-siemens-bobina-midline  Bobina de Linha (Midline Output Coil). Pode ser colocada no centro da linha possibilitando que outra lógica possa ser implementada no lado direito da bobina.
ladder-simbolo-bobina-saida-SET-611313 Bobina Set. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica energizado, mesmo que a linha deixe de estar energizada.
ladder-simbolo-bobina-saida-RESET-611313 Bobina Reset. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica desenergizado e permanece desenergizado mesmo que ocorra alteração de energia na linha.
ladder-simbolo-bobina-saida-POSITIVA-611313 Bobina de Detecção Positiva. Se as condições antes desta bobina mudar de desligado para ligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-simbolo-bobina-saida-NEGATIVA-611313 Bobina de Detecção Negativa. Se as condições antes desta bobina mudar de ligado para desligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.

 

7 – O Padrão GE (General Electric)

linguagem ladder ge

Finalmente, vamos visualizar os simbolos da linguagem ladder para os CLPs da GE, temos o seguinte padrão:

Simbolo Descrição
ladder-entrada-simbolo-na-iec-611313 Contato normalmente aberto (NA ou NO). Transfere energia se a chave estiver ligada (fechada).
ladder-entrada-simbolo-nf-iec-611313 Contato normalmente fechado (NF ou NC). Transfere energia se a chave estiver desligada (aberta).
ladder-ge-contato-transicao-positiva Transição positiva (POSCON). Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até o novo scan do controlador.
Válido para os processadores PACSystems e 90-70.
ladder-ge-contato-transicao-positiva-ptcom Transição positiva (PTCON). Se o estado do símbolo mudar de desligado para ligado, este contato transfere energia na linha até o novo scan do controlador.
Válido para apenas para os processadores PACSystems.
ladder-ge-contato-transicao-negativa Transição negativa (NEGCON). Se o estado do símbolo mudar de ligado para desligado, este contato transfere energia na linha até o novo scan do controlador.
Válido para os processadores PACSystems e 90-70.
ladder-ge-contato-transicao-negativa-ntcom Transição negativa (NTCON). Se o estado do símbolo mudar de ligado para desligado, este contato transfere energia na linha até o novo scan do controlador.
Válido para apenas para os processadores PACSystems.
ladder-simbolo-bobina-saida-iec-611313 Bobina ou Saída. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é energizada (ligada). Caso contrário, ela permanece desligada.
ladder-ge-saida-negada Bobina ou Saída Negada. Se todos os contatos na linha transferirem energia, a bobina é desenergizada (desligada). Caso contrário, ela permanece ligada.
ladder-ge-saida-set Bobina Set. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica energizado, mesmo que a linha deixe de estar energizada.
ladder-ge-saida-RESET Bobina Reset. Se a linha transferir energia para este elemento, ele fica desenergizado e permanece desenergizado mesmo que ocorra alteração de energia na linha.
ladder-ge-saida-tansicao-poscoil Bobina de Detecção Positiva (POSCOIL). Se as condições antes desta bobina mudar de desligado para ligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-ge-saida-tansicao-ptcoil Bobina de Detecção Positiva (PTCOIL). Se as condições antes desta bobina mudar de desligado para ligado em um scan. Utilizada nos processadores PACSystems.
linguagem ladder ge tansicao-negcoil Bobina de Detecção Negativa (NEGCOIL). Se as condições antes desta bobina mudar de ligado para desligado em um scan. Utilizada nos processadores PACSystems.
linguagem ladder ge tansicao-ntcoil Bobina de Detecção Negativa (NTCOIL). Se as condições antes desta bobina mudar de ligado para desligado, esta bobina é ligada para um scan do controlador.
ladder-ge-contato-continuacao Continuação de Contato. Transfere energia se a bobina precedente na linha estiver ligada.
ladder-ge-bobina-continuacao Continuação de Contato. Transfere energia para a bobina subsequente na linha.

Bom, até aqui o intuito era apresentar os símbolos básicos e como eles podem ser diferentes, dependendo de cada fabricante. Nos artigos seguintes, vou falar sobre outras instruções importantes para os CLPs: os contadores e os temporizadores. Veja abaixo:

Referências:

  • Basic Ladder Logic Programming de Javier Ruiz Thorrens;
  • Website http://www.allaboutcircuits.com/;
  • Website http://www.personal.kent.edu/;