Neste artigo, pretendo fornecer a você informações sobre as necessidades de manutenção na indústria, assim como lhe mostrar os tipos de manutenção que são praticadas atualmente. Ao final, você vai entender melhor sobre como são aplicados os diferentes tipos de manutenção e porque em alguns casos uma forma é melhor do que a outra em termos de custo, segurança e produtividade.

Por que Fazer Manutenção?

Com o tempo, cada parte da máquina ou equipamento sofre desgastes durante a operação. Estes desgastes podem ser dos mais diversos tipos como: abrasão, corrosão, erosão, envelhecimento, contaminação, dano, erro de funcionamento, etc. Os desgastes possuem um limite em cada equipamento e toda vez que este limite é romPIDo, o equipamento quebra. A única atividade que é capaz de corrigir estas condições é a manutenção, que consegue restaurar os desgastes e condição inicial dos equipamentos, mantendo os mesmos em níveis satisfatórios que garantem a operação da planta.

Em uma indústria de processo contínuo, a manutenção torna-se crítica porque uma pausa no processo é muito caro, uma vez após a quebra do equipamento, leva-se um tempo considerável para restabelecer o ciclo do processo. Em muitos casos ainda, durante o restabelecimento, consome-se muita matéria-prima sem produzir nada. Como exemplo, podemos citar o combustível que é consumido pelo gerador de vapor durante a operação de arranque de uma central de energia que não gera a energia até que a qualidade exigida de vapor gerada esteja ideal para a geração de energia.

Objetivos da Manutenção

Os diferentes tipos de manutenção, apesar de se diferenciarem nos seus aspectos, possuem alguns objetivos comuns, dentre os quais podemos citar:

  • Assegurar a disponibilidade de equipamentos com qualidade nos serviços;
  • Corrigir eficiências perdidas de forma a proporcionar o menor custo de produção;
  • Garantir a segurança de equipamento operacional e a segurança das pessoas que trabalham na empresa.

Os 6 Tipos de Manutenção

tipos manutenção industria

Tradicionalmente, podemos elencar 6 tipos de manutenção, que se diferenciam pela natureza das atividades, que por sua vez podem ou não ser planejadas. Na Figura abaixo, podemos ver como os tipos de manutenção são definidos.

tipos de manutenção

Figura 1 – Os tipos de manutenção

1 – Manutenção Preventiva (PM)

manutenção preventiva, dentre os tipos de manutenção, se destaca por manter o nível dos equipamentos, programando intervenções periódicas a fim de reduzir as deteriorações dos equipamentos. A manutenção preventiva combina os métodos com base no tempo e nas condições para manter o equipamento funcionando e a partir das intervenções ela consegue manter o desempenho dos materiais estruturais, previne a corrosão, a fadiga e outras formas de deterioração. Uma característica importante deste tipo de manutenção é que a inspeção ou intervenção no equipamento é feita periodicamente mesmo que ele não problemas.

Você Gostou Deste Artigo?
Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

2 – Manutenção de Parada (BM)

A manutenção de parada também é chamada de manutenção por melhoria ou prevenção de manutenção. São paradas ou grandes paradas de equipamentos que tem como objetivo fazer com que os mesmos atinjam o estado de novo. São feitas revisões e reparos em todos os itens de forma a assegurar, com alta probabilidade, um bom desempenho do equipamento por um longo período de tempo.

3 – Manutenção Corretiva (MC)

O conjunto de atividades destinadas a corrigir defeitos encontrados em diferentes equipamentos é a característica da manutenção corretiva, onde ela começa com os usuários ou operadores do equipamento relatando defeitos e comunicando ao planejamento do departamento de manutenção, que que por sua vez, providencia um técnico especializado para fazer a correção devida do problema.

4 – Manutenção de Quebra (MQ)

Diferentemente do tipo de manutenção planejada, a manutenção de quebra, está entre os tipos de manutenção onde não há planejamento de atividades. Isto significa que o intuito é deixar o equipamento operar até o mesmo quebre para então consertá-lo. A manutenção de quebra é aplicada quando as falhas não afetam significativamente a operação, produção ou não geram qualquer perda financeira.

5 – Manutenção Baseada no Tempo (TBM)

A manutenção baseada no tempo consiste na inspeção visual, lubrificação, limpeza do equipamento e na substituição de peças para prevenir as falhas repentinas e os problemas de processo. Estes tipos de manutenção geralmente não exigem especialização, podendo ser realizadas pelos próprios operadores mediante um treinamento básico. No TPM, ela faz parte das atividades de manutenção autônoma e da manutenção especializada.

6 – Manutenção Baseada nas Condições (CBM)

Como implica o próprio nome, a manutenção baseada nas condições é desencadeada pelas condições reais do equipamento mais do que pela transcorrência de um intervalo de tempo pré-determinado. A principal ferramenta utilizada aqui é a manutenção preditiva e ela consiste em coletar e reportar informações que se baseiam em certos valores conhecidos dos equipamentos. Alguns exemplos são: coleta da temperatura através de termografia, análise da vibração através da utilização de acelerômetros e análise da qualidade do óleo em laboratórios. Com o monitoramento constante, é possível intervir nos equipamentos assim que as variações são detectadas, de forma a corrigir as falhas antes que o equipamento quebre. Estes tipos de manutenção exigem conhecimentos técnicos avançados da equipe e geralmente é terceirizado por empresas especialistas em cada segmento.

Como Encontrar, dentre os Diferentes Tipos de Manutenção, a Ideal?

Devido aos vários tipos de manutenção, algumas pessoas tem a dificuldade de especificar qual a ideal para cada equipamento. A dica é: Não podemos pensar em somente uma forma de manter o equipamento e sim tentar mesclar os tipos de manutenção de forma a encontrar a relação ideal de custo e benefício para cada máquina.

Assim, para um motor em particular, nós podemos aplicar a lubrificação (manutenção preventiva periódica) e se for um equipamento muito importante em que a produção dependa dele, podemos gastar um pouco mais e monitorar a vibração e a temperatura (manutenção preditiva ou baseada nas condições). Nós podemos também planejar uma parada anual para este motor e nesta ocasião, fazer todas as revisões e reparos necessários (manutenção de parada e manutenção corretiva). Por outro lado, caso este motor não for importante para a produção, como por exemplo o motor do exaustor que quando quebra, causa somente o desconforto de menor ventilação no ambiente, a equipe pode simplesmente deixar ele operar até quebrar (manutenção de quebra).

No final das contas, você pode perceber que a mistura mais adequada dos tipos de manutenção será ditada por razões rigorosas relacionadas com o custo das perdas de produção que podem ocorrer em uma parada, o custo deste reparo e o impacto no ambiente, na segurança e na qualidade de um produto ou um serviço, entre outros. Veja que são vários os fatores que podem interferir e realmente deve-se ter uma análise detalhada caso a caso. Algumas ferramentas como planilhas de priorização podem ser aplicadas, mas vou deixar esta assunto para outro post.

Se você gostou deste artigo ou gostaria de agregar alguma informação que eu não tenha falado aqui, por favor, não esqueça de deixar seu comentário.

Referências:

  • SUZUKI, T. TPM in Process Industries. 1ª. ed. New York: Productivity Press, 1994.
  • http://practicalmaintenance.net/
  • http://www.cmmspro.com/types-of-maintenance.asp
  • http://www.mantenimientopetroquimica.com/