Vimos no artigo anterior que a capacitação técnica é a chave para o sucesso do TPM justamente pelo fato de que toda metodologia não funciona sem as pessoas. Também falei sobre os erros operacionais que ocorrem devido a falta de conhecimento do operador ou do manutentor. Por este motivo, neste post vou falar um pouco sobre quais são as capacidades básicas necessárias para distinguir a normalidade e a anormalidade, porque motivo os problemas operacionais persistem, qual é a habilidade requerida para o manutentor e o operador e como formar e avaliar individualmente as pessoas para que elas sejam capazes de executar com eficiência suas funções.

4 Capacidades Básicas Necessárias para Resolver os Problemas

Dentre todas as habilidades necessárias para detecção de falha/quebra e resolução de problemas, podemos citar 4 que são mais importantes:

1 – Capacidade de estabelecer a condição normal – Para estabelecer as condições normais dos equipamentos é necessário que o colaborador possua capacitação técnica em áreas específicas como elétrica, mecânica, eletrônica devido ao fato de que máquinas e equipamentos são compostas por elementos mecânicos e elétricos. Por exemplo, se for necessário trocar um rolamento, a pessoa precisa ser treinada em uma subárea da mecânica que ensina como fazer esta troca. O mesmo ocorre na desmontagem e montagem de bombas hidráulicas, troca de escovas de motores de corrente continua ou qualquer manutenção que seja necessária para estabelecer as condições normais.

2 – Capacidade de manter o controle das condições normais – Após estabelecer, é necessário manter as condições normais e para manter, os operadores ou manutentores devem ter a capacitação em como realizar as atividades de rotina na forma correta a fim de conservar as máquinas ou equipamentos. É importante que elas sejam treinadas nas atividades de limpeza, lubrificação e inspeção e saibam detectar possíveis falhas.

3 – Capacidade de distinguir normalidade de anormalidade – Conhecer bem os equipamentos é fundamental para evitar a quebra/falha. Neste sentido, as pessoas devem saber muito bem quais são as condições normais das máquinas e equipamentos e ser capaz de reconhecer quando ocorre um barulho anormal ou uma vibração que não tinha e apareceu com o passar do tempo ou ainda uma oscilação na velocidade que acaba por ocorrer em alguns momentos. As pessoas devem ter capacitação para reconhecer anormalidades da mesma forma que quando o nosso veículo apresenta um barulho diferente e levamos ao mecânico, o mesmo reconhece o problema apenas ouvindo o barulho e fazendo algumas inspeções.

4 – Tomar as providências ráPIDas e corretas contra anomalias – Você conhece a regra do CHA? Se não conhece, vou explicar: é uma regrinha que estabelece que competência é uma junção de 3 fatores: Conhecimento, Habilidade e Atitude. Não adianta nada ter conhecimento e não ter habilidade ou atititude para agir quando é necessário. Por isso a importância de ter pessoas com capacitação para tomar providências ráPIDas a fim de evitar problemas.

Por que os Problemas Operacionais Persistem?

Se você fizer a você mesmo esta pergunta, virão várias respostas dependendo de como funciona a empresa ou indústria em que trabalha. O intuito aqui é elencar algumas destas respostas a fim de termos alguns exemplos:

  • O ambiente acaba escondendo algumas anormalidades;
  • Falta de conhecimento e habilidade das pessoas para encontrar anomalias;
  • Falta de ações ráPIDas que possibilitem a reversão das anomalias;
  • Falta de conhecimentos e habilidades técnicas;
  • Subestimação das perdas pertinentes ao equipamento;
  • As pessoas simplesmente não conhecem os problemas.

Matriz de Habilidade

Se você está implantando fluxos de trabalhos em células compostas por diferentes processos que requerem conhecimento e capacitação diversificada das pessoas ou implementando o TPM ou a manutenção autônoma, ou simplesmente pretende educar e nivelar o conhecimento entre os seus colaboradores, uma ferramenta muito útil é a matriz de habilidades. Para desenvolver esta matriz, o primeiro passo é responder as seguintes perguntas:

  • Qual o nível de competência que eu preciso que minha equipe tenha?
  • Qual a descrição ou definição de cada nível de capacitação?
  • Qual é o critério geral para cada nível?
  • Em cada nível, quem é capaz de ensinar?
  • Qual a habilidade ou atividade específica que deve constar na matriz?

Antes de partir para o próximo passo de preenchimento da matriz de habilidades, responder estas questões fará com que você tenha mais clareza e definição do que realmente é importante. Abaixo eu vou citar algumas das habilidades que costuma ser requeridas para operadores e manutentores, mas atenção! São apenas exemplos:

Habilidades Requeridas para Operadores:

  • Identificar e bloquear fontes de anomalias dos equipamentos;
  • Entender as funções dos equipamentos e serem capazes de encontram as causas de problemas;
  • Conseguir realizar reparos;
  • Entender a relação entre equipamento e qualidade do produto, sempre tentando prever problemas de qualidade;
  • Ser capaz de desenvolver o kaizen ou melhorias individuais ou em cooperação com outros departamentos.

Habilidades Requeridas para a Manutenção:

  • Ser capaz de instruir a correta operação e manutenção diária do equipamento;
  • Ser capaz de analisar causas de anormalidades bem como implantar métodos corretos de restauração;
  • Conseguir identificar se o equipamento trabalha normalmente ou não;
  • Ser capaz de aumentar a manutenabilidade do equipamento com manutenções periódicas a fim de diminuir o MTTR – Tempo médio para o reparo;
  • Ser capaz de aumentar a confiabilidade do equipamento e sua vida útil, aumentando assim o MTBF – Tempo médio entre falhas.

Você Gostou Deste Artigo?

Cadastre-se hoje e receba atualizações por e-mail. Respeitamos a sua privacidade e você nunca terá seu e-mail divulgado.

Agora que temos a noção das habilidades, vamos preencher a matriz? Espere um pouco, pois ainda assim precisamos pensar em como vamos classificar as pessoas na matriz de acordo com os critérios necessários. Significa que para cada habilidade elencada, eu preciso classificar um grau de conhecimento para saber em que nível cada colaborador se encontra. Para isso, utilizaremos a tabela abaixo:

NívelDescriçãoCritérioSímbolo
0Não FazConhecimento e experiência insuficientes.capacitação nao faz capacitacao nao faz
1ConheceTem todas as instruções necessárias e materiais de referência.
Também possui familiaridade com as ferramentas necessárias.
 capacitação conhece capacitacao conhece
2Faz o BásicoRecebeu instrução e capacitação de um instrutor nível 4.
Executa a atividade corretamente mas ainda não é qualificado pelo instrutor.
 capacitação faz basico capacitacao faz basico
3PraticaExecuta perfeitamente, é capacitado e é qualificado pelo instrutor do nível 4. capacitação pratica capacitacao pratica
4EnsinaEnsina e monitora as atividades das outras pessoas. capacitação ensina capacitacao ensina

Pronto. Agora sim, com uma tabela com níveis de capacitação, temos todas as informações para preencher nossa matriz de habilidades. No meu exemplo, eu elenquei todas as habilidades que um manutentor mecânico precisa ter e logo depois fiz a classificação do conhecimento da equipe. Abaixo você pode ver este exemplo de forma estruturada:

matriz habilidade matriz habilidade

Uma vez elaborada a matriz de habilidades, é necessário informar expor esta matriz para a equipe, sempre no sentido de dar o feedback e buscar melhorar os pontos fracos e manter os ponrtos fortes de cada um. Um plano de treinamento também deve ser elaborado pelo gestor, podendo este utilizar os recursos que sabem treinar para nivelar os recursos que possuem potencial, mas não sabem fazer ou não executam. A liderança se envolvendo, fornecendo o feedback e buscando os treinamentos necessários  fará com que haja um sentimento de equipe que compartilha o conhecimento sempre na busca de um objetivo comum. Você verá como o resultado aumenta significativamente com motivação e capacitação da equipe.